quinta-feira, 14 de abril de 2011

4 Dias com o Poeta do Rap - ThankYou,EXU!!

.
.
GOG lança livro em Salv
ador
.



Rapper brasiliense publica suas principais letras em A Rim
a Denuncia (Global).
Ele participa de atividades na cidade de domingo a quarta


Pioneiro do hip hop nacional, o cantor e compositor brasiliense GOG, 45 anos, lançou seu primeiro CD em 1992, quando a cena do rap no país dava seu
s primeiros passos. No total, ele já soma nove álbuns e um DVD, com uma marca autoral que o fez receber o título de Poeta do Rap. Além de escrever sua história e a do rap nacional através das canções, GOG tem sua trajetória registrada no livro A rima denuncia (Global), que ganha lançamento em Salvador numa série de atividade de domingo a quarta (17 a 20), organizadas pelo coletivo Blackitude: Vozes Negras da Bahia.

.

Publicado na coleção Literatura Periférica, A r
ima denuncia faz um apanhado da produção de GOG - Genival Oliveira Gonçalves, trazendo algumas de suas principais letras, de diferentes fases. Organizado pelo poeta e professor Nelson Maca (Blackitude/UCSal), o livro proporciona aos leitores acompanhar as trilhas do rapper, autor de clássicos do gênero como Assassinos Sociais, Brasil com P e É o Terror. “Além de cronista arguto que documenta a realidade cotidiana de sua aldeia, GOG expande o olhar para os acontecimentos marcantes de sua época em planos universais”, anota Maca, no posfácio. Ele chama atenção para o cuidado especial de GOG na construção do texto verbal, ou seja, a letra e o poema, para sustentá-lo numa base musical que potencializa e amplia sua dicção.

Dividido em nove capítulos, o livro traz 48 letras, com
pequenos textos do próprio GOG falando sobre suas inspirações e o contexto de cada lançamento: Peso Pesado (92), Vamos Apagá-los...Com o nosso Raciocínio ( 93), Dia a Dia da Periferia (94), Prepare-se! (96), Das Trevas à Luz (98), CPI da Favela (2000), Tarja Preta (2003) e Aviso às Gerações (2006). Autor do texto de apresentação, o jornalista Pedro Alexandre Sanches destaca a importância do livro, que, em sua opinião “oferece a rara oportunidade de estabelecer uma reflexão crítica sobre o desenvolvimento do gênero e seus desdobramentos na vida cotidiana do país, das periferias aos centros.


AGENDA

.

A primeira atividade de GOG em Salvador é na reun
ião Hip Hop em Movimento: um diálogo entre Hip Hop e a Secretaria de Cultura do Estado (Secult/BA), domingo (dia 17), às 17h, na Biblioteca Infantil Monteiro Lobato, em Nazaré. Integrante do Conselho Federal de Cultura, GOG vem trocar experiências com os integrantes do hip hop local e com o novo Secretário de Cultura do Estado, Albino Rubim, além de autografar seu livro. Apesar de estratégico, o encontro encerra o dia de comemoração de 61 anos da casa.

Na segunda (18) acontece o lançamento de A
rima denuncia na Galeria do Livro do Espaço Unibanco de Cinema Glauber Rocha, na Praça Castro Alves. Na atividade, que começa às 19:00h, GOG fala sobre o trabalho e bate papo com a plateia. Participam o organizador Nelson Maca e o também escritor Hamilton Borges Walê, que assina a orelha da publicação. A noite termina com um sarau-rap, reunindo mc’s da cidade que recitarão suas letras a capela.

Na terça (19), a partir das 18h, o cantor participa de seminário
"Ritmo e Poesia da Língua Portuguesa" no PAF2-UFBA, com os parceiros dos projetos Rasuras, Conexão de Saberes e Pet/Comunidades Populares, do curso de Humanidades, quando fala o processo de composição de suas letras, sua relação com a escola, sobre as motivações e resultados de A rima denuncia e a importância da cultura hip hop na sua formação pedagógica.

Já na quarta (20), GOG é o convidado do Sarau
Bem Black, que acontece a partir das 19h, no Sankofa African Bar, Pelourinho. Além de falar e autografar seu livro, o artista participa de pocket show no encerramento do evento numa confraternização que contará com performances do percussionista Jorjão Bafafé; dos poetas Hamilton Borges Walê e Nelson Maca; do grupo Opanijé e dos rappers Daganja, Diego (157Nervoso), Freeza (oquadro), Robson Veio e Yuri.
.
Sua passagem por Salvador será marcada
por visitas a projetos, comunidades e instituições, a exemplo do Sarau Bem Legal na Biblioteca Infantil Monteiro Lobato em Nazaré, a Comunidade do Retiro e o Bloco Afro Òkànbì no Engenho Velho de Brotas. Durante todo seu trajeto na cidade, serão colhidas imagens para os videoclipes de duas de canções que estarão presentes no seu próximo álbum, com lançamento previsto para o segundo semestre de 2011. São elas “África Tática” e “Heroínas e Heróis”. Ambas escritas em parceria com Nelson Maca, que também assina o roteiro do clipe da primeira.

FICHA/ Lançamento



Livro: A rima denuncia

Autor: GOG

Organização: Nelson Maca

Editora: Global

Preço: R$ 30,00


PROGRAMAÇÃO

.


Domingo (17/04) - Reunião
Hip Hop em Movimento: um diálogo entre Hip Hop e a Secretaria de Cultura do Estado (Secult/BA) com a presença do secretário Albino Rubim , às 17h, na Biblioteca Infantil Monteiro Lobato, em Nazaré.

Segunda
(18/04) – Lançamento de A rima denuncia na Galeria do Livro/Espaço Unibanco de Cinema Glauber Rocha (Praça Castro Alves), com a presença de Nelson Maca e Hamilton Borges Walê, às 19. Entrada gratuita.

Terça
(19/04) – S
eminário "Ritmo e poesia da língua portuguesa" no PAF2-UFBA. Promoção dos projetos Rasuras, Conexão de Saberes e Pet/Comunidades Populares / às 18h.

Quarta
(20/04) - Participação do Sarau Bem Black, no Sankofa African Bar, Pelourinho, às 19h. Participação dos rappers Daganja, Diego (157 Nervovo), Freeza (oquadro), Robson Veio e Yuri; e do poetas Hamilton Borges Walê e Nelson Maca; e do percussionista Jorjão Bafafé. Entrada gratuita.


Mais informações: blackitude@gmail.com


.

4 comentários:

Anônimo disse...

ATENÇÃO: Reunião HipHop em Movimento??? NÃO
Reunião HipHop em Movimento??? NÃO. Só por questão de registro, como todos sabem o nome HIP HOP EM MOVIMENTO é a marca de um evento que acontece há 3 anos no VIVADANÇA Festival Internacional, no mês de abril no Teatro Vila Velha e Teatro do IRDEB, uma realização do VIVADANÇA e CMA HIPHOP. Esta é uma marca de um evento específico na BAHIA. Então, peço um pouco de atenção e cuidado pois temos compromissos com os nossos parceiros e patrocinadores que investiram na marca HIP HOP EM MOVIMENTO.

SITE DO VIVADANÇA http://www.teatrovilavelha.com.br/festivalvivadanca5/pt/programacao/hip-hop-em-movimento.html

Att: Dj Branco / CMA HipHop

Nelson Maca disse...

Caro DJ Branco,

se voltarmos um pouquinho mais no tempo, você verá que a Blackitude: Vozes Negras da Bahia realizou um evento chamado "Hip Hop em Movimento" no Theatro XVIII (Faz tempo!)

Parágrafo único: nosso compromisso primeiro é com a nossa própria coerência!

Tenho cartaz, programa oficial do Theatro XVIII e matérias de jornal.

Só para refrescar um pouco mais nossa memória, participaram:

RAP: Elemento X (Dj Edilson, Geninho, Rangell Blequimobiu e Gomez); Afrogueto (Dj Mario, Kiko, Oz e seda) e Quilombo Vivo (Dj Bandido, Juno e Jacó)/

RAP FREE-STYLE: Comboio Blackitude (Diego, Juno, Kiko e Spock, entre outros)

Graffiti: O'CLAN CREW (Neuro e Lee) e Turbilhão Urbano (Peace e Limpo) /

Break: Independente de Rua (Entre outros, dançaram: Ananias, Tina, Jorge e Bruce Lee /

Qualquer coisa, é só dar dá uma ligadinha pra Aninha Franco ou falar com o jornalista Gil Maciel (Assessor de Imprensa do Theatro XVIII à época)

Quando você resolveu usar o termo para sua batalha, lógico que me lembrei disso; mas não me senti ofendido. Mesmo porque a expressão já foi usada como título de eventos e projetos por muita gente além de nós dois; antes e depois de nós dois.

A reunião que estamos prestes a realizar - amanhã - não é deliberativa e sim a tentativa de abrir um diálogo maduro entre Nós - do Hip Hop - e a nova gestão da Secult-BA, apenas. Não quero ofender princípios nem roubar nada de ninguém.

Sinceramente, para mim, o título do evento é o que menos importa!

Mas saiba que dei esse nome ao evento conscientemente. Ou seja, sabendo que você também está usando o termo.

Como tive o cuidado de te convidar pessoalmente para essa reunião com o Secretário de Cultura Albino Rubim, com o Rapper GOG e Artistas-Ativista do HIP HOP BA (para além de qualquer fronteira), me coloco à sua disposição, desde já, para debater tudo o que escrevo aqui. Inclusive através de depoimentos de vários artistas-ativistas que participaram do evento no Theatro XIII, e que estarão lá na reunião da Biblioteca Monteiro Lobato.

Com Respeito,
Nelson Maca

Dona Dayse Sacramento disse...

Maca, infelizmente não pude conferir este presente que é a presença de GOG mais uma vez na nossa terra. Tenho muito orgulho de ter articulado a vinda dele naquele evento da UCSal, lembro como hoje. estou cursando uma disciplina como aluna especial no mestrado em Crítica Cultural, com Sílvio e Edil e na semana passada a aula teve como mote de discussão uma entrevista sua e uma música de GOG. Nossa, quantas lembranças boas vieram à minha memória. Você marcou a minha história ao me apresentar o Hip Hop. Se hoje sou o que sou, se hoje me enxergo como me enxergo devo isto a você. estarei mais próxima das atividades que um dia me fizeram entender que "Criatura, você é negona!"

Grande abraço,

Sua eterna aluna, Dayse Sacramento

Nelson Maca disse...

Opa Dayse,
obrigado pelas palavras!

Nelson Maca