domingo, 4 de novembro de 2007

ENTREVISTA / Escritor Sacolinha

.
Sacolinha,
também conhecido como Ademiro Alves, morador da periferia paulistana, gosta de ser chamado de escritor, para assim lembrar que ser escritor é possível; você entende, não é, man? No dia 8 de novembro, quinta-feira próxima, lança 85 Letras e um disparo, mais uma obra da Coleção Literatura Periférica da Global Editora. Depois de Sérgio Vaz e Alessandro Buzo, chegou a vez desse rapaz lá de Suzano lançar o terceiro volume da coleção. A base do livro é um conjunto de contos com sua primeira versão independente. Eles voltam agora compondo um volume revisto e ampliado. Mesmo um tanto bravo comigo, que prometi visitá-lo lá em Suzano e não cumpri, ele responde minhas perguntas de maneira objetiva e firme. Então, vamos lá: uma boa viagem a todos, e espero que vocês tenham a mesma satisfação que eu de conhecer esse escritor jovem que, apesar dos belos gols que tem feito, ainda tem muito futebol pela frente; muita alegria para sacudir a galera.

Gramática da Ira (GI): Salve Sacola, tudo certo, menino? Diz aí pros parceiros do Gramática da Ira como você gosta de ser apresentado? Por quê?

Sacolinha (S): Peço sempre que me chamem de “escritor Sacolinha”, escritor pra mostrar que é possível e Sacolinha porque é a minha identidade, mesmo sendo no diminutivo eu sou grande, e como sou.

GI: São quantos livros já publicados em sua carreira? Dá para fazer um resuminho de cada um? Como podem ser adquirido?

S: São três. O romance Graduado em marginalidade que foi meu primeiro livro é uma foto que tirei de um bairro aqui perto. O segundo que foi o de contos 85 Letras e um disparo que trata de vários temas de nossa sociedade. E por fim vem a segunda edição revista e ampliada do 85 Letras e um disparo, com novos contos e com uma pegada mais inovadora.

GI: Como está sendo sua primeira experiência numa grande editora? Quais suas expectativas com relação a 85 Letras versão Global? Fale um pouco do livro.

S: Por enquanto nenhuma novidade já que eu circulo nesse meio há algum tempo, pois mesmo publicando meus dois primeiros livros independentes, sempre espreitei os bastidores das editoras grandes. E com relação às expectativas eu procuro não carregar nenhuma, pois sei que depende muito de mim, e que se eu não fizer o negócio virar, acabo me queimando.

GI: Diga aí qual sua opinião sobre os encaminhamentos da coleção Literatura Periférica da Global Editora: tratamento gráfico, autores, textos, relação com os autores, etc.

S: Até o momento não tenho do que reclamar, talvez também seja cedo pra eu responder essa pergunta.

GI: Na real mesmo, diga aí pra nós, como foi sua experiência no Programa do Jô? Ele é chato e arrogante mesmo, ou é só impressão do Brasil inteiro?

S: Sei lá. O contato que tive com ele foi aquele que todo mundo assistiu. Não teve papo antes e nem depois da entrevista. Amarguei duas horas e meia no camarim á espera de uma atenção, depois entrei no stúdio, gravei e assim que foi para o intervalo já foram me tirando do stúdio. Vale lembrar também que tudo aquilo ali é editado, tudo, tudinho.

GI: Fale de sua experiência literária dentro da Prefeitura de Suzano? Como você trabalha o fato de ser um escritor periférico desenvolvendo trabalhos no âmbito oficial?

S: Estou comendo pelas beiradas, ou seja, eu já fazia isso antes de trabalhar lá, a única diferença é que agora tem uma pequena estrutura: telefone, computador, internet, espaço físico e de discussão com o poder público. Sendo assim fica mais fácil publicar novos autores, desenvolver concursos literários, debates e trazer escritores para a cidade. É necessário cada vez mais espaço para a literatura que sempre foi a prima pobre das artes.

GI: Como é que funciona seu sarau erótico? E a revista que você tem publicado, principalmente, com escritores novatos?

S: A idéia do Pavio erótico foi minha, mas ele não é meu não, é da população que tomou de conta assustadoramente. Com este projeto passamos de entretenimento para responsabilidade, pois incentivamos muitas pessoas a ler, escrever e apresentar. A parceria com a secretaria de saúde do município deu certo. Eles vêm com preservativos e informações sobre DST’s. Unimos o útil ao agradável. A revista Trajetória Literária foi uma grande conquista. Anualmente consegui garantir a publicação de 20 autores (as) inéditos (as).

GI: Você já veio à Bahia? Quando virá? Tirando os medalhões já desgastados pelo tempo e pela baianidade que nos deprime, quem você já leu daqui? Onde? Gostou?

S: Já fui para Ibirataia, foi uma experiência e tanto. Fui e voltei de ônibus, rachei a cabeça de tanto sol que tinha por lá. Tudo isso pra poder escrever com conhecimento de causa um texto que pretendo lançar em livro mais pra frente. João Ubaldo Ribeiro foi o autor desses lados que mais gostei quando li. O cara tem um
estilo só dele e que em momento algum deixou de lado o regionalismo e mesmo assim conquistou muitos
leitores, desde adolescentes até idosos. E ainda intelectuais.

GI: Que pergunta você faria para você mesmo enquanto escritor? Como responderia?

S: Seria mais feliz do que já sou se conseguisse responder às minhas próprias perguntas. Vivo em guerra comigo mesmo, o tempo todo.

GI: Que pergunta gostaria de deixar pra nós, do lado de cá?

S: Se vocês não estão a fim de trocar o sossego da Bahia, a magia do Pelourinho, a emoção de ter o Ilê Ayê e o
Olodum, o Dic do Tororó com seus santos, o 2 de fevereiro, e as praias por essa metrópole de São Paulo?

GI: Quem se sentir instigado a responder, entra aí nos comentários e mande ver....

Valeu, Sacolinha,
obrigado pela presença em nossa nada humilde casa! rsrs

Nelson Maca
Blackitude.BA / Cooperifa.BA
Liga Africana Atual
One Love!!

Contato com o escritor Sacolinha: (11) 4747-4180
ttp://www.sacolagraduado.blogspot.com/

2 comentários:

blequimobiu disse...

Sacolinha, maior respeito, se quizer trocar alguma coisa, eu troco Caetano Veloso por Mano Brown, vai?

Hehehehhehehehehehe!

Bj pra Lúcia e Luíza, valeu o domingo!

Marcio Rufino disse...

Adorei a entrevista com o Saolinha. É, sem sombra de dúvida uma personalidade admirável. Parabéns pelo blog. Quando puder visite meu espaço. http://emaranhadorufiniano.blogspot.com

Comentários serãomuito bem vindos!!!

Abrçs!!!