domingo, 21 de junho de 2009

Odeio heroína e heróis!

.
.

Crônica Mendes
, do bom grupo de rap A Família, escreve texto inspirado nas palavras de Ana Carla (Meu luto é luta), nas minhas (Negrocídio) e nas do GOG (O Rap se manifesta) - todos logo aí - abaixo.

Para mim é positiva esta conexão com este cara - Crônica Mendes - ele me inspira confiança!

O texto chama -se Odeio heroína e heróis, e começa assim:

"Não assistimos, porque a vida real não está nas telas. Mas infelizmente seguimos presenciando os corpos nossos de cada dia caírem por terra, tombarem em cada esquina, praça, sela, becos e vielas.

Dói, indigna, assusta...

Temos tantos heróis e nenhum é nosso de fato. Mas quem precisa de herói em um mundo tão real, onde a barbárie aniquila e ainda anuncia quem vai ser o próximo.

Sou puto e fico mais puto ainda com os discursos em palcos e ausência de prática. Estão usando a favela, estão usando nossa juventude. E o pior é que são daqui.

Quem é o inimigo?
Quem é você?

[...]"


E termina com a seguinte nota:

"Inspirado nos textos Negrocídio de Maca, Meu luto é minha luta de Ana Clara e no texto escrito por Gog à Ana Carla."

.

Então,
vamos lá conferir o restante do "desabafo" e, ao mesmo tempo, aproveitar para visitar mais um Blog da Irmandade em Luta?

O endereço é: http://www.cronicamendes.blogspot.com/


África! One People! One Love!

Nelson Maca - Um Elo-da-Corrente


*As fotos foram sequestradas do Bog do Crônica

.

Um comentário:

Crônica Mendes disse...

A Nelson Maca.

Irmão, o campo nosso é esse, esse a qual estamos caindo uns e levantando outros, mas é chegada a hora de ausentar a queda. Separados somos alvos fáceis e se a luta é a mesma então somos uma, uma legião em campos dos pensamentos libertários, da arte como música despertando o subconsciente adormecido pelas canções de ninar capitalista. O campo dessa batalha é nossa terra, e nossa gente não há de ficar somente vitimadas, temos que debater sim, temos de acerar o dialogo na questão da educação, da violência, dentre outras deselegâncias que somos vitimas. Estou ae pro dialogo, pra ações, nos aprendizados nosso de cada dia e na disposição da noite.

Admiro tua escrita e tua pessoa, vinda a mim pelo Gog e pelo pouco tempo aproveitado por mim em te observar, mas como bom observador, minha admiração por você é direta, ou melhor, é esquerda, esquerda do coração.
Gog, é nosso, é do povo...um ótimo amigo e um grande falante ao som do despertar de minha mente.
Cada palavra tua, Maca, tens minha reciprocidade.

Forte abraço meu amigo.

Crônica Mendes.
Amante do Bom Gosto